Posts

FAVELA: LUGAR ONDE O ESTADO MÍNIMO JÁ EXISTE

Se as favelas fossem um estado, seriam o quinto com mais gente, atrás de São Paulo, Rio, Minas e Bahia. Moram nelas 13,6 milhões de brasileiros, com uma maioria negra (67%) superior ao índice nacional (55%). Juntos, eles movimentam 10 bilhões por mês, média individual (730 reais) inferior ao salário mínimo (1.045 reais). Leia mais

O COMBATE AO CORONAVÍRUS NAS FAVELAS

Em função das condições sociais e geográficas, a pandemia do coronavírus adquire, aqui, um grau alarmante de perversidade. Se entre o vírus e o hospedeiro se estabelece uma relação de ordem natural, quando se trata de sua difusão epidêmica ou pandêmica são as relações e as condições socioespaciais que passam a ordenar o processo. Leia mais

A FAVELA NOS TEMPOS DO CORONAVÍRUS

Até o momento as notícias que nos chegam são relacionadas principalmente à pandemia dos ricos. Mas como esse cenário de catástrofe global irá se desenrolar entre os12 milhões de brasileiros que moram em favelas? Leia mais

DESIGUALDADE, ESCALA E POLÍTICAS PÚBLICAS

A literatura que relaciona políticas públicas com a estrutura socioespacial urbana mostra que, ao concentrar investimentos em áreas de mais alta renda, o Estado reforça as desigualdades, em vez de mitigá-las. Conhecida como “causação circular”, essa dinâmica é geralmente estudada com base na comparação entre os bairros de uma cidade. Nesse tipo de análise, os bairros de classe média e média-alta emergem como áreas reiteradamente valorizadas pelos investimentos públicos, em detrimento dos bairros pobres da cidade, incluindo as favelas. Leia mais

INDICADORES PARA REGULAÇÃO DO SANEAMENTO EM ÁREAS DE POBREZA

O marco regulatório do saneamento no Brasil foi instituído em 2007, cabendo às entidades reguladoras a verificação do cumprimento dos planos de saneamento por parte dos prestadores de serviços. Leia mais

EMPREENDEDORISMO, POLÍTICA E “PACIFICAÇÃO” NO RIO DE JANEIRO

A intervenção federal na área da segurança pública no estado do Rio de Janeiro, iniciada em fevereiro de 2018, e o anúncio da extinção de parte do Programa de Polícia Pacificadora levantaram a questão sobre o que muda e o que permanece no cenário das favelas cariocas após dez anos de “pacificação”. Leia mais

VIOLÊNCIA EM FAVELAS E SAÚDE

O tráfico de drogas tornou-se o principal fator para a crescente escalada da violência e um dos maiores obstáculos para o sucesso dos serviços públicos de saúde nas favelas. O Brasil ocupa o primeiro lugar no mundo como o país com mais anos de vida perdidos pela violência. Nas últimas décadas, a velocidade de crescimento das favelas se intensificou. Entre 2000 e 2010, o crescimento de favelas foi doze vezes maior que o aumento anual das famílias brasileiras. Leia mais