Posts

AS INCERTEZAS QUE RONDAM A REFORMA TRIBUTÁRIA

Após meses prometendo enviar uma reforma tributária ao Congresso, o Governo decidiu apresentar sua proposta em partes. O ministro da Economia, Paulo Guedes, entregou ao Parlamento um projeto de lei (PL) que unifica dois impostos complexos (PIS e Cofins) em um único tributo novo, a Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), com alíquota única de 12%. Leia mais

O CONFUSO DEBATE DOS NOVOS TRIBUTOS

Um imposto sobre transações digitais, ou sobre pagamentos, ou sobre comércio eletrônico, ou movimentações financeiras. Cada hora o ministro Paulo Guedes fala uma coisa. E tudo tem jeito e cheiro de CPMF. O Congresso está discutindo a unificação de tributos num IVA, que Guedes diz que é coisa dos anos 50. Leia mais

EVOLUÇÃO DO PADRÃO DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS BRASILEIRAS ENTRE 2008 E 2017

Entre 2004 e 2014, o Brasil vivenciou forte expansão do consumo popular, graças ao aumento do poder aquisitivo das famílias de baixa renda. Este artigo analisa, pela ótica microeconômica, as modificações no padrão de consumo domiciliar resultantes desse cenário, buscando avaliar em que medida a crise instalada no País a partir de 2014 foi capaz de reverter a melhoria no nível de bem estar alcançada no período precedente. Leia mais

INDUSTRIALIZAÇÃO NACIONAL E O PROTAGONISMO DO ESTADO

Em 2014, em um encontro voltado para a cooperação acadêmica internacional, um importante representante da comitiva chinesa presente no Brasil foi questionado sobre o enorme dinamismo econômico promovido pelas relações simbióticas entre estado e mercado na China, especificamente, das relações umbilicais entre suas empresas estatais e suas empresas privadas. Reconhecendo de forma discreta a eficiência dessas relações na promoção do desenvolvimento econômico, passou a enfatizar a importância das ações coordenadas orientadas pelo planejamento. Leia mais

TRAJETÓRIAS REGIONAIS DE DESENVOLVIMENTO NO BRASIL CONTEMPORÂNEO

O presente trabalho tem por objetivo consolidar e propor uma agenda de pesquisa para a investigação das trajetórias regionais de desenvolvimento no Brasil contemporâneo. A agenda proposta visa observar os novos espaços produtivos, sobretudo, fora dos eixos mais tradicionais de localização da atividade econômica no Brasil – ou seja, Sudeste e Sul. Leia mais

MENOS DE 20% DO CRÉDITO PARA SOCORRER EMPRESAS FOI DESEMBOLSADO

Em meio à reclamação de empresários sobre a falta de crédito durante a pandemia do novo coronavírus, apenas 17% dos recursos anunciados em programas de financiamento lançados ou regulamentados pelo governo foram desembolsados até agora. Leia mais

SAÚDE DA FAMÍLIA: CONTEXTUALIZAR O DESMONTE É ESSENCIAL

Corte de gastos públicos, precarização das condições de trabalho, desmantelamento da Estratégia de Saúde da Família e uma política de desinformação por parte do Poder Público. Leia mais

IPEA APONTA QUEDA DE 6% NO PIB PARA 2020

Diante do avanço da pandemia de Covid-19 e seus impactos na economia brasileira, especialmente no segundo trimestre deste ano, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revisou as previsões macroeconômicas e divulgou, nesta terça-feira (09), queda esperada de 6% no Produto Interno Bruto (PIB) para 2020 e alta de 3,6% para 2021. Leia mais

DESENVOLVIMENTO, PLANEJAMENTO E COMBATE ÀS DESIGUALDADES NO BRASIL

Independentemente de como a literatura descreva as complexas relações entre a desigualdade e o crescimento econômico, o principal efeito adverso da desigualdade pertence às esferas social, política e, em última instância, ética. Leia mais

PIB BRASILEIRO CAI 1,5% NO PRIMEIRO TRIMESTRE

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro do primeiro trimestre de 2020 recuou 1,5% em relação aos três meses anteriores, de acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com igual período de 2019, a atividade econômica teve variação negativa de 0,3%. Os dados do PIB divulgados relevam apenas os impactos iniciais da crise gerada pela pandemia da covid-19 na economia brasileira, já que as medidas de isolamento social para reduzir o ritmo de disseminação do vírus foram implementadas apenas a partir da segunda quinzena de março, nos últimos 15 dias do primeiro trimestre. Leia mais