OS PAPÉIS DAS INSTITUIÇÕES PARTICIPATIVAS NA ESTRUTURAÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS

A partir de uma abordagem que enfatiza a mútua constituição entre capacidades político-relacionais e técnico-administrativas, o objetivo deste artigo é qualificar o papel que as Instituições Participativas (IPs) assumiram na estruturação e na trajetória das políticas públicas no Brasil.

Com base em seis áreas de políticas, sugerimos a seguinte tipologia para compreender a variação que as IPs tiveram na institucionalização das políticas: papel reformador, fundante ou episódico/contingencial. Argumentamos que a ação combinada de três fatores – capacidades técnico-administrativas pré-existentes, oportunidades políticas e dinamismo e configuração das comunidades de políticas – ajuda a compreender a variação.

Leia o artigo de Carla Almeida e outros em https://www.scielo.br/j/rbcpol/a/fgqNdCSTvJDszfgcpStYYzr/?lang=pt&format=pdf

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.