CRÍTICA DA TESE DAS IDEIAS TRANSPLANTADAS

O artigo propõe uma interpretação da permanência da tese das ideias transplantadas na América Latina.

Para fazê-lo, indo mais além de questões hermenêuticas, o artigo foca no perfil de seus três principais defensores – opositores, liberais e intelectuais – e em suas diferentes estratégias com respeito ao liberalismo e à modernidade. Para os primeiros, as ideias liberais seriam estranhas à América Latina e sua tentativa de aplicação naturalmente causaria resistências. Para os segundos, as ideias liberais – que eram orgânicas na Europa e em consonância com as necessidades da expansão do capitalismo – teriam se revelado impotentes perante a realidade dos povos da região. Para os terceiros, o atraso entre as ideias e a realidade seria permanente por causa de distintos processos de encobrimento histórico do verdadeiro ser destes povos. Esta heterogênea conjunção de usos muito diferentes é a que dá conta da durável sedução da fórmula.

Leia o artigo de Danilo Martuccelli em https://www.scielo.br/j/dados/a/WXb73XJGwryb3gvj6FTtBPf/abstract/?lang=pt

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.